Instalações

 

As instalações de uma edificação em Light Steel Framing em nada se diferem das instalações aplicadas em uma construção convencional. De maneira geral, os materiais aplicados em instalações elétricas, hidráulicas, gás, internet, telefonia, aquecimento solar, energia solar, TV, CFTV, não necessitam de especificidades em cada sistema em si para que estes possam constituir uma obra em LSF. As considerações de projeto também são as mesmas que uma construção convencional.

As diferenças entre as instalações em uma construção convencional e em LSF aparecem na execução e em alguns acessórios específicos de fixação das instalações.

 

ORIENTAÇÕES GERAIS

 

Para as passagens de tubulação pelo radier e eventuais baldrames, é recomendado que haja precisão no posicionamento de cada elemento, evitando desalinhamento com as paredes. O cuidado nas instalações deve partir da fundação.

A necessidade de quebrar as paredes após prontas, como ocorre na alvenaria convencional ocasiona um grande transtorno, além da quantidade de entulho gerado.

As paredes de LSF não precisam ser quebradas para o encaixe das tubulações como é feito na alvenaria convencional. Também não é necessário pré-fixar as peças nas lajes antes da concretagem, onde nesse processo é possível danificar caixas de passagem e demais acessórios. As instalações transitam nos vazios internos das paredes, lajes e forros do LSF e são fixadas após a montagem da estrutura como um todo, o que facilita as atividades da mão de obra que executa as instalações além de evitar danos em materiais.

Uma outra grande vantagem do sistema LSF está na visualização das instalações como um todo na obra. Todas as paredes são uma espécie de shaft, o que torna possível observar a interferência entre as instalações, permitindo que isso seja corrigido de forma simples e sem danos. Com as paredes revestidas apenas de um lado e aberta do outro pode-se visualizar todas as instalações e inclusive fazer ajustes nas medidas do projeto (as built) antes de realizar o fechamento da parede, para que o cliente saiba exatamente onde cada instalação está passando.

Toda a infra de elétrica, internet, telefone, TV e CFTV deve ser feita com eletrodutos e de forma separada. Não se deve misturar os sistemas em um mesmo eletroduto.

 

TUBULAÇÕES HIDRÁULICAS

 

 

O detalhe encontra-se nas tubulações de água. Devido à pressão, as tubulações podem se movimentar e vibrar dentro das paredes e com isso ocasionar cortes ou furos, por isso os tubos devem ser fixados com braçadeiras em pontos estratégicos e reforços horizontais em seu ponto de saída, e estarem protegidas com protetores de montantes (DryFIX) na passagem pelos furos de serviço. A tubulação de gás e água quente, geralmente feitas com tubos de cobre, também possui uma particularidade na qual devem estar isolados do aço para que não ocorra corrosão, sendo utilizado também o protetor de montantes para este isolamento.

Um ponto importante é a não colocação de tubulações e eletrodutos na parte interna dos montantes estruturais de parede, pois são onde os parafusos do chapeamento irão entrar, podendo danificar as instalações.

 

FUROS DOS PERFIS ESTRUTURAIS

 

A furação dos perfis estruturais para passagem de instalações é normalizada pela NBR 15253 que permite que não sejam necessários reforços para as furações, se seguidas conforme o padrão estabelecido pela norma. As furações não devem estar à menos de 300mm da extremidade e não devem ter menos de 600mm entre os furos. O formato dos furos deve ser redondo ou oblongo e não ultrapassar 35mm de diâmetro. Para furações diferentes do padrão é necessário reforçar os perfis com chapas de aço auxiliares.

A manutenção das instalações no sistema LSF também possui uma grande vantagem pois não é necessário quebrar nada. O trabalho é feito cortando as chapas de fechamento na região onde é preciso realizar a manutenção e com a própria chapas cortas é possível reconstituir a área cortada, evitando bagunça e sujeita.